Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Mostrando itens por marcador: quarta as quatro Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Sala de Imprensa > Notícias > Programa de pós-gradução em Ciência da Informação
Início do conteúdo da página

A próxima live QuartaàsQuatro, que será realizada no dia 05 de maio, discutirá o tema “Da gênese à contemporaneidade da comunicação e divulgação científicas”. O evento on-line e gratuito é uma realização do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Será emitido certificado para aqueles que acompanharem a live ao vivo, às 16h.

A live tem como base o livro “Da gênese à contemporaneidade da comunicação e divulgação científicas”, lançado no ano 2020. O livro celebra os 50 anos do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI), desenvolvido por meio de convênio entre a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Ibict. A publicação, que é organizada pela professora Lena Vania Ribeiro Pinheiro, do corpo docente do PPGCI/Ibict/UFRJ, e pela pesquisadora Palmira Moriconi Valerio, conta com a participação de professores, alunos e ex-alunos do PPGCI e pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Além da professora Lena Vania Ribeiro Pinheiro, o pesquisador Gustavo Saldanha, também professor do PPGCI/Ibict/UFRJ e um dos autores da publicação, participará da QuartaàsQuatro.

O livro que será discutido e apresentado durante a próxima QuartaàsQuatro, publicado pela editora UFPB – dirigida por Izabel França de Lima, conduz uma abordagem que revela a gênese da Comunicação Científica e da Divulgação Científica. A publicação traz textos sobre vários assuntos relacionados à temática, como defesa e segurança, saúde, história, metrias da informação e comunicação e os precursores russos. Cinco partes compõem o livro: gênese da comunicação e divulgação científicas; múltiplas vertentes da comunicação científica; clássicas e inovadoras metrias da informação e comunicação; vastos horizontes da divulgação científica; e avanços e questões contemporâneas da comunicação científica. Compõem as partes do livro 20 capítulos assinados por renomados autores da área, como a própria professora Lena Vania Pinheiro.

Confira o currículo dos participantes da próxima QuartaàsQuatro:

Gustavo Saldanha

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especialização em Filosofia Medieval pela Faculdade São Bento-RJ, mestrado em Ciência da Informação pela UFMG e doutorado em Ciência da Informação pelo convênio Ibict-UFRJ. Realizou, sob o fomento da Capes, o estágio pós-doutoral na Université Toulouse III, Toulouse, França. Atualmente, é pesquisador titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia e professor adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atua como docente nos programas de pós-graduação em Ciência da Informação do Ibict/UFRJ e em Biblioteconomia da UNIRIO.

Lena Vania Ribeiro

Formada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Pará (UFPA), doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e mestre em Ciência da Informação pela mesma Universidade, em convênio com o Ibict. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação do convênio Ibict/UFRJ, no qual exerce essa função há mais de 30 anos. Publicou livros e capítulos de livros e muitos artigos de periódicos e comunicações em congressos, no Brasil e no exterior, e tem orientado inúmeros mestres e doutores, sobretudo no Ibict, e em outras instituições e universidades, em Ciência da Informação e áreas interdisciplinares.


Clique aqui para acessar o link direto da live (redirecionamento para o Youtube).



Patrícia Osandón
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

A experiência dos pesquisadores Fernanda Valle e Gustavo Saldanha com o tema “Filosofia da Linguagem e Espectro Autista” motivou a realização da última QuartaàsQuatro, promovida pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), no último dia 28. Fernanda Valle, que é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI), desenvolvido por meio de convênio entre o Ibict e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), contou na live sobre a pesquisa intitulada “Comunico, logo existo: o protagonismo da linguagem e os dilemas classificatórios do Transtorno do Espectro Autista”, que vem realizando sobre orientação de Gustavo Saldanha no doutorado. Saldanha é pesquisador titular do Ibict e professor do corpo docente do PPGCI/Ibict/UFRJ.

Durante a live, os pesquisadores apresentaram questões conceituais e estruturais em relação ao Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), como Filosofia da Linguagem, o TEA e as áreas do conhecimento e a organização do conhecimento. Como explicou Fernanda Valle, é preciso pensar que o autismo foi concebido socialmente e isso é refletido também na maneira como o conhecimento sobre o assunto também foi construído, incluindo a relação com a Ciência da Informação.  

Fernanda Valle e Gustavo Saldanha vêm sendo reconhecidos em relação às pesquisas conduzidas sobre Transtorno do Espectro Autista. No início de abril, os pesquisadores foram os os únicos representantes brasileiros no evento internacional Inclusive Library Programmes for Users with Autism Spectrum Disorder (ASD): Practices and Potential Development (Programas de Biblioteca Inclusivos para Usuários com Transtorno do Espectro Autista: Práticas e Desenvolvimento Potencial), quando debateram o tema "Do Espectro do Autismo às Várias Maneiras de Ler – Os livros e o Mundo (em inglês: From the Autism Spectrum to the Multiple Ways of Reading – the Books and the World).

Em relação ao assunto, Fernanda Valle e Gustavo Saldanha discutiram na QuartaàsQuatro sobre as práticas de leitura, a formação de leitores e o acesso aos livros das pessoas com TEA. “Ler e escrever são direitos de todos os seres humanos. Então, a partir disso, surge o questionamento: como garantir esses direitos às pessoas com TEA?". Diante desse aspecto, Fernanda Valle explicou que é preciso deslocar o olhar voltado exclusivamente para o livro e pensar em formas de acesso pleno a todos os leitores, entre eles as pessoas com TEA. Para a pesquisadora, ainda há muito a debater sobre o assunto, de modo a garantir a plena cidadania a todos os seres humanos.

O autismo no espelho da classificação – É possível conhecer um pouco da pesquisa em curso em um estudo publicado por Fernanda Valle e Gustavo Saldanha intitulado (Des)informação em Saúde: o autismo no espelho da classificação, que busca estimular os pesquisadores da Ciência da Informação a se tornarem agentes importantes na compreensão dos fenômenos informacionais no campo, especialmente em relação à organização e à representação do conhecimento. Neste texto também são abordadas questões como a construção dos discursos identitários, a definição ontológica do ser e as classificações científicas em saúde. Clique aqui para acessar.

Acesse a live em versão integral abaixo ou clique aqui para acompanhar a live na página do Ibict no Youtube.




Patrícia Osandón
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

Em celebração ao mês do Dia Mundial de Conscientização do Autismo, 02 de abril, a live QuartaàsQuatro do dia 28 de abril discutirá o tema “Filosofia da Linguagem e Espectro Autista”. O evento on-line e gratuito é uma realização do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Será emitido certificado para aqueles que acompanharem a live ao vivo, às 16h.

Foram convidados para a edição Gustavo Saldanha, pesquisador titular do Ibict e professor do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI), desenvolvido por meio de convênio entre a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict); e Fernanda Valle, doutoranda no PPGCI/Ibict/UFRJ.

Durante a live, Fernanda Valle contará sobre a pesquisa que vem realizando no doutorado sobre orientação de Gustavo Saldanha. É possível conhecer um pouco da pesquisa em curso em um estudo publicado por Fernanda Valle e Gustavo Saldanha intitulado "(Des)informação em Saúde: o autismo no espelho da classificação", que busca estimular os pesquisadores da Ciência da Informação a se tornarem agentes importantes na compreensão dos fenômenos informacionais no campo, especialmente em relação à organização e à representação do conhecimento. Neste texto também são abordadas questões como a construção dos discursos identitários, a definição ontológica do ser e as classificações científicas em saúde. Clique aqui para acessar.

Fernanda Valle e Gustavo Saldanha vêm sendo reconhecidos em relação às pesquisas conduzidas sobre Transtorno do Espectro Autista. No início de abril, os pesquisadores foram os os únicos representantes brasileiros no evento internacional Inclusive Library Programmes for Users with Autism Spectrum Disorder (ASD): Practices and Potential Development (Programas de Biblioteca Inclusivos para Usuários com Transtorno do Espectro Autista: Práticas e Desenvolvimento Potencial), quando debateram o tema "Do Espectro do Autismo às Várias Maneiras de Ler – Os livros e o Mundo (em inglês: From the Autism Spectrum to the Multiple Ways of Reading – the Books and the World).

Conheça o currículo dos participantes:

Gustavo Saldanha
Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especialização em Filosofia Medieval pela Faculdade São Bento-RJ, mestrado em Ciência da Informação pela UFMG e doutorado em Ciência da Informação pelo convênio Ibict-UFRJ. Realizou, sob o fomento da Capes, o estágio pós-doutoral na Université Toulouse III, Toulouse, França. Atualmente, é pesquisador titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia e professor adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atua como docente nos programas de pós-graduação em Ciência da Informação do Ibict/UFRJ e em Biblioteconomia da UNIRIO.

Fernanda Valle
Doutoranda e mestra em Ciência da Informação (Ibict/UFRJ, 2018), pós-graduanda em Transtorno do Espectro Autista (CBI of Miami/Universidade Celso Lisboa), especialista em Marketing e Design Digital (Escola Superior de Propaganda e Marketing, 2015) e bacharela em Comunicação Social (Universidade Estácio de Sá, 2011). Integra os grupos de pesquisa Ecce Liber: filosofia, linguagem e organização dos saberes (Ibict); Perfil-I (Perspectivas Filosóficas em Informação/Ibict) e Memória e Sociedade da Informação (MeSo/Ibict). Atualmente, é bolsista de doutorado do CNPq-Brasil e pesquisa sobre autismo no escopo da organização do conhecimento. Possui interesse nas áreas de organização do conhecimento, filosofia da linguagem e epistemologia das ciências da comunicação e da informação.

Clique aqui para acessar o link direto da live (redirecionamento para o Youtube).


Patrícia Osandón
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

No dia 31 de março, às 16hs, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), realiza a live QuartaàsQuatro com o tema “Ano Ibero-Americano das Bibliotecas – Bibliotecas criam futuro”. A live vai debater o protagonismo das bibliotecas para criar futuros para todas as pessoas.

Participam do evento Ana Maria da Costa Souza, presidente do Iberbibliotecas, Maria Angélica Fuentes Martinez, chair da IFLA-LAC e Ricardo Rodrigues, consultor do Ibict. O encerramento do evento será com Cecilia Leite, diretora do Ibict, finalizando a agenda de lives do Ibict e de todo o mês do bibliotecário.

O Ano Ibero-Americano das Bibliotecas, a ser celebrado em 2021, foi instituído na XX Conferência Ibero-americana de Ministras e Ministros de Cultura da Ibero-América como oportunidade de fortalecer a interlocução regional sobre o papel das bibliotecas no desenvolvimento dos países ibero-americanos.

No contexto da pandemia, e em meio a grandes desafios de acesso à informação, todos os tipos de bibliotecas se reafirmaram como espaços necessários para que as pessoas tenham acesso a um conhecimento confiável, locais que garantam o acesso à informação e desenvolvimento de seus direitos culturais.

O Ano Ibero-Americano das Bibliotecas reunirá todos os tipos de bibliotecas: públicas, populares, comunitárias, digitais, móveis e itinerantes, universitárias, escolares, especializadas, indígenas, em cadeias ou prisões, nacionais, entre outras. Da mesma forma, será um tempo de reflexão ao redor das bibliotecas de uma região conformada por 23 países.

A coordenação do Ano está a cargo de comitê liderado pelo Programa Ibero-americano de Bibliotecas Públicas – Iberbibliotecas, e composto pela Secretaria Geral Ibero-americana – SEGIB; o Centro Regional para o Fomento do Livro na América Latina e o Caribe – CERLALC; a Seção para América Latina e o Caribe da Federação Internacional de Associações Bibliotecárias– IFLA LAC; e a Associação de Estados Ibero-americanos para o Desenvolvimento das Bibliotecas Nacionais da Ibero-América, ABINIA.

A live será exibida ao vivo no canal do Ibict no Youtube (clique aqui para acessar).

 

Confira o currículo dos participantes:

Ricardo Crisafulli

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília, especialização em Administração de Sistemas de Informação pela Universidade Católica de Brasilia, mestrado em Master em Fotografia - Scuola per la Fotografia di Moda, em Florença na Itália e Doutorado em Ciência da Informação, pela Universidade de Brasília. Foi servidor do Ibict por mais de 25 anos. Também foi Presidente da Associação de Bibliotecários do Distrito Federal (ABDF). Atualmente é consultor do Ibict e membro da Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias Seção América Latina e Caribe (IFLA LAC).

Ana Maria da Costa Souza

Ana Maria da Costa Souza trabalha na área cultural envolvendo livro, literatura e bibliotecas há mais de 30 anos. Entre as muitas funções que ocupou, foi gerente de divulgação da literatura brasileira no exterior, professora universitária, coordenou a seção do Distrito Federal do Programa Nacional de Incentivo à Leitura e trabalhou em pesquisa de serviços inovadores de bibliotecas como chefe de projetos especiais na Biblioteca Demonstrativa do Brasil por 20 anos. Veio para a Coordenação-Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas do Brasil em 2017 para acompanhar as ações do Brasil no Iberbibliotecas; em 2018, assume como Coordenadora-Geral. Em abril de 2019, no Conselho Intergovernamental realizado em Quito, Equador, toma posse como Presidente do Programa Iberbibliotecas para o biênio 2019-2021.

Maria Angélica Fuentes Martinez

Tem graduação em biblioteconomia pela Universidad de Playa Ancha de Ciencias de la Educación, Valparaíso no Chile, Mestrado em gestão do conhecimento pela Beca Fundación Carolina España e em Documentação Digital pela Universidad Pompea Fabra, España. Chair del Comité Permanente de la Sección América Latina y el Caribe de la IFLA, Coordenadora del Área Recursos Digitales Biblioteca del Congreso de Chile e Presidente do Colegio de Bibliotecarios de Chile. Asociación Profesional.

 

Carolina Cunha

Núcleo de Comunicação Social do Ibict 

Publicado em Notícias

No último dia 24, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), realizou a live QuartaàsQuatro com o tema “Parâmetros da biblioteconomia no Brasil”. Com mediação de Cecília Leite, diretora do Ibict, o evento contou com as palestras dos professores Emir Suaiden e Murilo Cunha, ambos da Universidade de Brasília (UnB).

Voltado para bibliotecários, o evento integra as comemorações do Mês do Bibliotecário no Brasil 2021, com uma programação que promove o compartilhamento de experiências e a realização de discussões que contribuam para o exercício profissional crítico, engajado e atento às demandas apresentadas pela sociedade.

Durante a live foram discutidos aspectos sobre as bibliotecas e o profissional bibliotecário no Brasil. Emir Suaiden abordou fatos históricos que mais impactaram a biblioteconomia brasileira, do período colonial ao século 20, e que exigiram profundas mudanças na formação e na atuação dos bibliotecários. “Hoje, quando falamos biblioteca para todos, a gente vê que a biblioteca nasceu muito elitizada”, explica.

Murilo Cunha apresentou os benefícios e características das bibliotecas digitais, além de tendências e novas possibilidades de acervos, com diferentes tipos de documentos e dados. A apresentação contou com exemplos práticos de bibliotecas ao redor do mundo que inovam na forma de atuação. Segundo Cunha, essas possibilidades permitem que as bibliotecas exerçam novos papeis informacionais em áreas como educação, ciência, cultura e governo.

Ao final da live, o professor abordou o Bicentenário da Independência do Brasil, comemorado em 2022, como uma oportunidade para as bibliotecas brasileiras implementarem ações educativas inovadoras.  

Clique aqui para acessar a live em versão integral no canal do Ibict no Youtube.

 

Carolina Cunha

Núcleo de Comunicação Social do Ibict 

Publicado em Notícias

A última QuartaàsQuatro, live semanal do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), abordou o tema “A importância das bibliotecas na divulgação científica”. Realizada no dia 10/03, o evento teve transmissão ao vivo no canal do Ibict no Youtube.  

A live contou com a participação de Cecília Leite, diretora do Ibict e Alessandra Assis, coordenadora Municipal de Fomento à Leitura da prefeitura de Juína (MT), com a moderação de Ricardo Crisafulli, consultor do Ibict e membro da Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias Seção América Latina e Caribe (IFLA LAC).

O debate faz parte do Mês do Bibliotecário 2021, evento em comemoração ao dia dos bibliotecários e das bibliotecárias, e que conta com uma programação especial das instituições dos estados do Centro-Oeste. O Mês do Bibliotecário 2021 é uma atividade inserida no contexto do Ano Ibero–Americano das Bibliotecas e conta com o apoio da Universidade Federal de Brasília (Unb), Ibict e CRB-1.

Ricardo Crisafulli iniciou o debate explicando que a biblioteca possui o papel de mediar a informação para que o usuário possa ter um maior acesso. "Não basta entregar essa informação, a biblioteca precisa ter um mecanismo de transformar essa informação de acordo com seu usuário”.

Alessandra Assis abordou a importância da ciência para a sociedade e defendeu a popularização do conhecimento. “Muita gente acha que a ciência é algo distante e não está no nosso dia a dia”, reflete. Ao não entender a importância da ciência, a pessoa tem dificuldade de valorizar o conhecimento científico. Para ela, a ciência de nosso tempo evolui cada vez mais, o que também aumenta a necessidade de informação e de democratização de seu acesso.

Segundo a professora, num mundo digital, a biblioteca ainda é um espaço importante de acesso ao conhecimento. “Nem todos têm acesso à internet e mesmo que tenha, muitos não sabem como buscar fontes confiáveis. O usuário não sabe como buscar esse conhecimento. Esse é o papel das bibliotecas nesse mundo tecnológico que vivemos hoje”, explica Alessandra.   

Cecília Leite abordou a informação como um elemento-chave para a nossa cultura. “Informação é o princípio vital da sociedade contemporânea e eu vejo a biblioteca como uma ilha nesse oceano que é a internet”. A diretora do Ibict também falou sobre o papel do instituto nas áreas de informação científica e divulgação científica. "Um projeto muito importante é o Canal Ciência, que reúne pesquisas que são traduzidas para uma linguagem mais acessível”, explica. Ela também citou a criação de repositórios como a Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) e o Portal Brasileiro de Acesso Aberto à Informação Científica ― Oasisbr, que são fontes de pesquisa para alunos universitários e pesquisadores.

 

A live está disponível integralmente no canal do Ibict no Youtube. Clique para assistir:

https://www.youtube.com/watch?v=3binPjshQZc

 

 

Carolina Cunha

Núcleo de Comunicação Social do Ibict 

Publicado em Notícias

A próxima QuartaàsQuatro, live semanal do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), terá como tema “A importância das bibliotecas na divulgação científica”. O evento contará com transmissão on-line ao vivo pelo canal do Ibict no Youtube, no dia 10/03 às 16h (horário de Brasília).

Durante a live, os participantes vão debater assuntos relacionados à Comunicação Científica e a atuação das bibliotecas para o acesso e a ciculação do conhecimento científico. “A live terá o papel de discutir a importância das bibliotecas reafirmarem o conhecimento científico para a sociedade, seja pela manutenção de seus acervos, seja por meio da mediação da informação”, diz Raphael Cavalcante, presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia 1ª Região (CRB-1). 

O debate será mediado por Ricardo Crisafulli, consultor do Ibict e membro da Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias Seção América Latina e Caribe (IFLA LAC) e conta com a participação de Cecília Leite, diretora do Ibict, e Alessandra Assis, coordenadora Municipal de Fomento à Leitura da prefeitura de Juína (MT).

A live faz parte do Mês do Bibliotecário 2021, evento em comemoração ao dia dos bibliotecários e das bibliotecárias, e que conta com uma programação especial das instituições localizadas nos estados do Centro-Oeste: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O Mês do Bibliotecário 2021 é uma atividade que faz parte do Ano Ibero–Americano das Bibliotecas e conta com o apoio da Universidade Federal de Brasília (Unb), Ibict e CRB-1.

Confira o currículo dos participantes:

Alessandra Assis

Bacharelado e licenciatura em História pelo Centro Universitário Newton Paiva. Bacharelado em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especialização em História e Cultura Afrobrasileira pela Faculdade de Artes, Ciências e Tecnologia. Mestranda em Educação pela UDE no Uruguai. Foi responsável pela implantação do Sistema Municipal de Bibliotecas de Juína no Mato Grosso, onde atualmente o coordena e professora de História na educação básica do Mato Grosso.

Cecília Leite

Possui graduação em Letras Licenciatura Plena pela Universidade de Brasília (1977), mestrado em Ciências da Informação pela Universidade de Brasília (1996) e doutorado em Ciências da Informação pela Universidade de Brasília (2003). É Pesquisadora da EMBRAPA Informação Tecnológica de carreira, cedida ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), atuando como diretora do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict.

Ricardo Crisafulli

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília, especialização em Administração de Sistemas de Informação pela Universidade Católica de Brasilia, mestrado em Master em Fotografia - Scuola per la Fotografia di Moda, em Florença na Itália e Doutorado em Ciência da Informação, pela Universidade de Brasília. Foi servidor do Ibict por mais de 25 anos. Também foi presidente da Associação de Bibliotecários do Distrito Federal (ABDF). Atualmente é consultor do Ibict e membro da Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias Seção América Latina e Caribe (IFLA LAC).

Clique em http://live.ibict.br para acessar o canal do Ibict no Youtube.

 

 

Carolina Cunha

Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

A próxima QuartaàsQuatro, live promovida semanalmente pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do MCTI, terá como tema “Ibict em foco”. O evento contará com transmissão on-line ao vivo pelo canal do Ibict no Youtube, no dia 03/03 às 16h (horário de Brasília).

O tema é uma homenagem aos 67 anos do Instituto celebrados no dia 27 de fevereiro. Na live, a diretoria e os coordenadores-gerais da instituição vão apresentar os produtos e serviços do Instituto, em áreas diversas como Ciência de Dados, Acesso Aberto e Ciência Aberta, Publicações Científicas, Pesquisa em Ciência da Informação e Tecnologia e Inovação.

O Ibict nasceu a partir do antigo IBBD - Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação, fundado em 1954 como órgão do então Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq). Em meados dos anos 70, o IBBD passa por algumas transformações, inclusive com a mudança de nome e se mantém até hoje como um dos órgãos de vanguarda nas áreas em que atua.

 

Confira o currículo dos participantes:

 

Cecília Leite

Possui graduação em Letras Licenciatura Plena pela Universidade de Brasília (1977), mestrado em Ciências da Informação pela Universidade de Brasília (1996) e doutorado em Ciências da Informação pela Universidade de Brasília (2003). É Pesquisadora da EMBRAPA Informação Tecnológica de carreira, cedida ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC), atuando como Diretora do Ibict.

Bianca Amaro

Doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Pompeu Fabra (Espanha) e graduada em Biblioteconomia, Direito e Letras. Presidente da Rede de Repositórios de Acesso Aberto à Ciência (LA Referencia). Membro do Comitê Executivo da Confederation of Open Access Repositories (COAR), Coordenadora do Centro Brasileiro do Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal. (Latindex), Coordenadora do Programa Brasileiro de Ciência Aberta do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. Vencedora do International Electronic Publishing Trust for Development (EPT 2015). Atualmente é Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos Consolidados no Ibict.

Anderson Itaborahy

Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Juiz de Fora, especialização em Análise de Sistemas pela UFMG, pós-graduação em Engenharia de Software pela Poli/USP e Administração Estratégica de Sistemas de Informação (AESI) pela FGV. É Mestre em Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação pela Universidade Católica de Brasília e Doutorando em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília. Atualmente é Coordenador Geral de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos no Ibict.

Tiago Braga

Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG). Mestre em Educação Tecnológica pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET/MG). Doutor em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília (UnB). Pesquisador do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) onde atualmente lidera a Coordenação-Geral de Tecnologias da Informação e Informática (CGTI). Faz parte do comitê técnico da Rede Global de Interoperabilidade de Dados de ACV (GLAD), coordenado pela ONU Meio Ambiente e da BSLISE, grupo gerido pela IFLA.

Gustavo Saldanha

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais, especialização em Filosofia Medieval pela Faculdade São Bento-RJ, mestrado em Ciência da Informação pela UFMG, doutorado em Ciência da Informação pelo convênio Ibict-UFRJ. Realizou, sob o fomento da Capes o estágio pós-doutoral na Université Toulouse III, Toulouse, França. Atualmente é Pesquisador Titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), Professor Adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atua como docente nos programas de pós-graduação em Ciência da Informação do Ibict e em Biblioteconomia da UNIRIO.

 

Clique em http://live.ibict.br para acessar o canal do Ibict no Youtube.

 

 

Carolina Cunha

Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias

A QuartaàsQuatro da última quarta-feira (10) reuniu representantes de algumas das instituições envolvidas no cumprimento do 3º compromisso do 4º Plano de Ação Nacional para Governo Aberto para uma discussão sobre ciência cooperativa e colaborativa por meio do compartilhamento de informações e dados. A QuartaàsQuatro é uma live promovida sempre às quartas-feiras, às 16h, pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

A live contou com a abertura da diretora do Ibict, Cecilia Leite, e de Zaira Turchi, diretora de cooperação institucional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Como explicou Cecília Leite, “a questão do compartilhamento de informação e de dados é fundamental para o avanço da ciência. É um tema de extrema importância para a pesquisa brasileira e o desenvolvimento do Brasil”.

Cecilia Leite e Zaira Turchi destacaram a importância da parceria entre CNPq e Ibict para a criação de uma plataforma de armazenamento de dados científicos, o Lattes Data. Com o Lattes Data, as equipes estão promovendo uma expansão da Plataforma Lattes com o objetivo de armazenar e permitir acesso aos dados oriundos dos projetos fomentados pelo CNPq, permitindo compartilhamento e reuso pela comunidade científica e acompanhamento pela sociedade, além de múltiplas oportunidades de inovação (saiba mais aqui). Durante a fala de abertura, Zaira Turchi disse que “o Ibict é uma liderança na área e tem uma experiência muito grande em repositórios, informações e dados”, o que traz benefícios à parceria para o Lattes Data.

Ainda na abertura, Bianca Amaro, coordenadora-geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos Consolidados do Ibict, chamou a atenção para a importância da ciência colaborativa e cooperativa em 2020 com a pandemia de COVID-19. “Estamos vendo neste período de pandemia o quão importante é o intercâmbio científico. Quanto mais abertos os dados, mais a ciência avançará. Este é um movimento mundial, não é um movimento brasileiro e nós estamos sempre buscando nos alinhar às iniciativas internacionais. O mundo está se organizando para a abertura dos seus dados”, afirmou Bianca Amaro.

Ciência Aberta e compartilhamento de dados de pesquisa: Durante a live, os participantes discutiram sobre assuntos relacionados à Ciência Aberta, à cultura e às políticas de compartilhamento de dados de pesquisa. A live foi mediada por Washington Segundo, Coordenador de Análise, Tratamento e Disseminação da Informação Científica do Ibict. Participaram como palestrantes do evento Paulo Artaxo, da Universidade de São Paulo; Paulo Henrique Santana, do CNPq; Vanessa Jorge, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e Patrícia Bertin, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Em sua fala, o professor Paulo Artaxo citou os benefícios do compartilhamento de dados e da ciência colaborativa, como o aumento da produtividade científica e de citações. Além disso, o pesquisador trouxe exemplos institucionais de experiências bem-sucedidas com o compartilhamento de dados.

“A ciência colaborativa com compartilhamento público de dados aumenta muito a sua produtividade. Infelizmente, a gente observa que mais de 80% dos dados gerados com financiamento de recursos públicos não são publicados. São dados que acabam ficando no computador do pesquisador. Além de ser um enorme desperdício dos recursos públicos, esses dados são uma preciosidade muito grande que pode trazer benefícios enormes para nossa sociedade e para o próprio pesquisador”, explicou Paulo Artaxo.

Também reforçando a importância do compartilhamento de dados e da ciência colaborativa, Paulo Santana, do CNPq, trouxe detalhes sobre a criação do Lattes Data e o estímulo, em parceria com o Ibict, à criação da rede nacional de repositórios de dados de pesquisa. Além disso, Paulo Santana também contou sobre a garantia de atribuição do Digital Object Identifier System (DOI) aos conjuntos de dados depositados por meio de acordo consorciado com a DataCite.

As pesquisadoras Patrícia Bertin, representante da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e Vanessa Jorge, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), trouxeram em suas apresentações as ações das suas instituições em Ciência Aberta e, também, detalhes sobre as iniciativas e contribuições dos parceiros envolvidos na Parceria para Governo Aberto (do inglês, Open Government Partnership - OGP).

Acesse a live em versão integral abaixo: 

 

Patrícia Osandón
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

 

Publicado em Notícias

A QuartaàsQuatro da próxima quarta-feira (10) discutirá o tema “Estimulando a Ciência Cooperativa e Colaborativa por meio do compartilhamento de informações e dados”. A QuartaàsQuatro é uma live promovida sempre às quartas-feiras, às 16h, pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

Durante a live, os participantes discutirão sobre assuntos relacionados à Ciência Aberta, à cultura e às políticas de compartilhamento de dados de pesquisa. A live será mediada por Washington Segundo, Coordenador de Análise, Tratamento e Disseminação da Informação Científica do Ibict, com a abertura da diretora do Ibict, Cecília Leite, e de Zaira Turchi, diretora de cooperação institucional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Participarão como palestrantes do evento Paulo Artaxo, da Universidade de São Paulo; Paulo Henrique Santana, do CNPq; Vanessa Jorge, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e Patrícia Bertin, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O encerramento da live será conduzido por Bianca Amaro, coordenadora-geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos Consolidados do Ibict.

Confira o currículo dos palestrantes e do moderador do evento:

Washington Segundo: É doutor e mestre em Informática pela Universidade de Brasília, com estágio de doutorado sanduíche no King's College London. Possui graduação em Matemática (Bacharelado e Licenciatura) também pela Universidade de Brasília. É coordenador de Análise, Tratamento e Disseminação da Informação Científica do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia.

Paulo Artaxo: Realizou sua graduação em Física pela Universidade São Paulo (1977), mestrado em Física Nuclear pela USP (1980) e doutorado em Física Atmosférica pela USP (1985). Trabalhou na NASA (Estados Unidos), Universidades de Antuérpia (Bélgica), Lund (Suécia) e Harvard (Estados Unidos). Atualmente, é professor titular do Departamento de Física Aplicada do Instituto de Física da USP.

Paulo Henrique Santana: Tem formação em Engenharia, Física e Ciência da Computação. Atualmente, é coordenador de Informação e Estudos Internacionais no CNPq. Dentre outras atividades, foi vice-diretor do Ibict, coordenador-geral de TI do CNPq, tendo coordenado a implantação da Plataforma Lattes no Brasil e no exterior (Rede Scienti).

Vanessa Jorge: doutora e mestre em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação (convênio IBICT/UFRJ) e graduada em Arquivologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atualmente, é tecnologista em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), atuando na Coordenação de Informação e Comunicação da vice-presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC).

Patricia Bertin: PhD em Information Management pela Loughborough University (2014), mestrado em Patologia Molecular (2002) e graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília (1999). Pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) desde 2002, tem se dedicado ao estudo e desenvolvimento de abordagens sistêmicas para a gestão de dados, informações e conhecimento no contexto da Ciência, Tecnologia e Inovação. Atualmente, é supervisora de Governança da Informação e Transparência da Secretaria de Desenvolvimento Institucional da Embrapa.

Clique em http://live.ibict.br para acessar o canal do Ibict no Youtube.


Patrícia Osandón
Núcleo de Comunicação Social do Ibict

Publicado em Notícias
Página 2 de 5
Fim do conteúdo da página